Welcome to Aeternus

Aeternus


 Create an AccountSite | Enviar Artigos | Seu Perfil  
Usu?rio Info
Bem-vindo(a), Anonymous
Nome de usu?rio
Senha
(Cadastre-se)
Cadastramento:
?ltimo: petersmello
Hoje:: 0
Ontem: 0
Total: 180

Pessoas on-line:
Visitantes: 8
Cadastrados: 0
Total: 8

Sum?rio
 Site
 Administrador
Acc?s r?serv? aux membres Estat?sticas
 Debates
 Lista
 Descrição Listas
 Artigos
 Artigos Topics
 Arquivo de Artigos
 Autores & Artigos
 Os 10 mais
 Literatura
 Contos Originais
 Crítica Literária
 Poesias
 Ensaios:Nabokov
 Livro Caripeba
 Livro das Fadas
 Estética Barroca
 Entrevistas
 Downloads
 Informações
 Blog
 Web Links
 Seu Perfil
 Procura
Acc?s r?serv? aux membres Calendar
 Artes
 Poesias
 Gallery
 Testemunho
 Videos
 Culinária
· My eGallery
 Ajuda
 FAQ
 Fale Conosco
 Avaliação
Acc?s r?serv? aux membres Calendar

Divulga??o
Lan?ado o Livro das Fadas
O primeiro livro Virtual Aeternus

  
Convite/Abertura
Monday, May 27 @ 18:14:37 BRT por Administrador (405 visualiza??es)
Literatura

(Leia mais... | 47323 bytes adicionais | Pontos 0)

Contos: Tudo
Wednesday, August 29 @ 19:43:15 BRT por Administrador (642 visualiza??es)
LiteraturaO dia estava escuro. Era de manhã, mas parecia estar anoitecendo. As nuvens, carregadas de lágrimas, estavam para começar a chorar e encharcar as ruas úmidas e vazias daquela cidade. Era uma visão dramática e melancólica para qualquer um que ousasse passar por ali.


(Leia mais... | 2274 bytes adicionais | Contos | Pontos 5)

ADEUS AOS OBJETOS, ou o Nabokoviano em Nabokov
Thursday, March 01 @ 19:38:29 BRT por Administrador (921 visualiza??es)
Trabalhos

ADEUS AOS OBJETOS, ou o Nabokoviano em Nabokov

Jansy Berndt de Souza Mello, 2011

Good-bye to Objects, or, the Nabokovian in Nabokov,

Mikhail Epstein  (in A Small Alpine Form: Studies in Nabokov’s Short Fiction, ed. by Gene Barabtarlo  and Charles Nicol, New York: Garland Publishers (Garland Reference Library of the Humanities, Vol. 1580), 1993, pp. 217-224.)



(Leia mais... | 33226 bytes adicionais | Pontos 0)

A DEFESA DE LUZHIN
Tuesday, May 24 @ 20:03:01 BRT por Administrador (1179 visualiza??es)
Trabalhos


                          A DEFESA DE LUZHIN   

                           “Xeque-Mate Psíquico”

                          Jansy Berndt de Souza Mello, 2011


  
A propósito do seu livro "A Defesa de Luzhin" Nabokov adverte sobre "a imanência intrincada do xadrez no enredo e nas imagens que constituem sua principal metáfora," antes de descrever seu personagem central como  desajeitado e sujo, mas dotado de uma "estranha habilidade em fazer-se amado" porque "há nele algo que transcende a rudeza de sua carne cinzenta e a esterilidade do seu genio recôndito".



(Leia mais... | 61965 bytes adicionais | Pontos 0)

J? h? mais que Mil e.. tr?s ensaios sobre sexualidade...e pervers?es... e homos
Monday, September 06 @ 09:25:55 BRT por Administrador (1333 visualiza??es)
Trabalhos

“Já há mais que Mil e.. três ensaios sobre sexualidade...e  perversões... e homossexualidade”

                                                                     Luiz Fernando Gallego

 

 

1.      Relacionamentos sexuais em período mais recente do que na Grécia antiga ([3][3])

 

Randolph Trumbach ([4][4]) diz que foi na metade do século XVIII que emergiu na Inglaterra e Noroeste da Europa a moderna concepção dos gêneros e dos relacionamentos sexuais: os papéis masculino e feminino, seu significado e a relação entre eles passaram por uma revolução que integrava o nascimento da cultura moderna ocidental – o Iluminismo.



(Leia mais... | 158487 bytes adicionais | Pontos 2)

Est?tica barroca: a mente devassa a paix?o.
Monday, June 07 @ 17:34:43 BRT por Administrador (2155 visualiza??es)
Trabalhos
Estética barroca: a mente devassa a paixão.
                                             Mércia Pinto

Não se discute arte barroca sem se estudar a propaganda religiosa e a retórica, como o barroco se dirige à mente do espectador por meio de emoções. O século XVII caracteriza imoderado gosto por classificações e tipologias. Ao se publicar o “Tratado das Paixões” (Descartes, 1648), expressar afetos manifestou-se uma ambição comum: entender seus mecanismos, transcrever e ordenar seus efeitos em vocabulário conciso, para impressionar o espectador. A descrição dos processos e a discussão das teorias que os sustentam é o tema deste artigo, que pode ser lido na íntegra clicando aqui.


(Leia mais... | Pontos 0)

Est?tica barroca: a mente devassa a paix?o.
Monday, June 07 @ 17:28:25 BRT por Administrador (4334 visualiza??es)
Trabalhos

Resumo

Não se discute arte barroca sem se estudar a propaganda religiosa e a retórica, como o barroco se dirige à mente do espectador por meio de emoções. O século XVII caracteriza imoderado gosto por classificações e tipologias. Ao se publicar o “Tratado das Paixões” (Descartes, 1648), expressar afetos manifestou-se uma ambição comum: entender seus mecanismos, transcrever e ordenar seus efeitos em vocabulário conciso, para impressionar o espectador. A descrição dos processos e a discussão das teorias que os sustentam é o tema deste artigo.

 

Palavras Chaves: Estética, história da arte, música barroca.

 

Abstract

Baroque aesthetics: the mind inquiries the passion

One cannot discuss baroque art without studying the religious propaganda and the rhetoric, as it addresses to the spectator through their emotions. The 17th century is characterized by the taste of classification and typologies. By the publishing of “Treatise on Passion” (Descartes-1648), expressing affects turned a common aspiration: to understand their mechanisms, to write out and arrange their results in a concise vocabulary in order to move the onlooker. The aim of this article is to describe and discuss the theories that support these processes.

 

Key words: Aesthetics, history of art, baroque music.



(Leia mais... | 163821 bytes adicionais | Pontos 0)

Poesia: Gerard Galloway
Thursday, December 03 @ 09:29:44 BRST por Administrador (2982 visualiza??es)
Literatura
Poemas em Inglês por Gerard Galloway


(Leia mais... | 77932 bytes adicionais | Poesia | Pontos 0)

Contos: Nicolau
Tuesday, November 17 @ 14:10:25 BRST por Administrador (1488 visualiza??es)
Literatura
Mércia Pinto.

Nicolau era o papagaio de minha avó. Naquele tempo, além dos agregados familiares que moravam e trabalhavam na casa, só saindo quando se casavam, ainda se criavam muitos bichos; soins, gatos, cachorros, e não faltava um papagaio que comia os restos de miolos de pão com café que sobravam na mesa.  Assim era na casa da minha avó. Viviam com muita simplicidade, mas a população de agregados e bichos parecia não pesar no orçamento familiar.


(Leia mais... | 30976 bytes adicionais | Contos | Pontos 5)

A hip?tese lacaniana
Wednesday, September 09 @ 18:22:35 BRT por Administrador (1645 visualiza??es)
Trabalhos